Páginas

terça-feira, 12 de junho de 2018

A indústria 4.0

Por Sandra Elisabeth


É muito comum as pessoas confundirem indústria 4.0 com uso de tecnologia de ponta. Isto acontece, é fato, pois para se chegar à Indústria 4.0 é necessário passar pela Indústria 3.0 (automação, robotização, etc).

De acordo com a CNI, no Brasil, 76% das fábricas se encontram no estágio da Indústria 1.0 ou 2.0 (Veja abaixo o comparativo entre as Indústrias abaixo):


Neste cenário, é fácil entender porque tem tantas pessoas que ainda acham que Indústria 4.0 é sinônimo de tecnologia. Claro que sem a tecnologia fica difícil atender os pré-requisitos básicos da Indústria 4.0, porém ela é muito mais do que isto.

A Indústria 4.0 usa as ferramentas de tecnologia para compreender melhor o cliente e assim conseguir atende-lo de maneira mais eficiente e eficaz.

Por exemplo, o simulador de voo da Embraer resolveu um grande problema do cliente: uma espera de 8 anos para um novo modelo de aeronave estar pronto! Hoje, com o simulador esta espera caiu 30% e é claro que também auxiliou a empresa com redução de custo, possibilidade de tocar mais de um projeto ao mesmo tempo e diminuição de retrabalho – já que no simulador é possível fazer todos os testes, incluindo nível de combustível gasto e ruído do motor.

Veja, a Embraer utilizou tecnologia em prol de atender uma demanda do cliente!

A própria tecnologia de impressão 3D que vem crescendo a cada dia que passa, mostrando que a ideia é atender mais rapidamente a demanda do cliente, fazendo algo da forma que ele deseja. E não pensem que a impressão 3D ainda está no “plástico”... já temos impressão de casas, de roupas e calçados e existem ainda uma tentativa de impressão de avião em fibra de carbono!

Tudo isso para se aproximar mais da chamada manufatura descentralizada, que é exatamente o contrário do proposto por Ford no século XX.

Agora, o que todos sabem é que precisamos inovar em nossas fábricas, não apenas para chegar na era da Indústria 4.0, mas principalmente para sobreviver enquanto empresa.

A única verdade estabelecida até o momento, segundo dados da CNI, é que no Brasil apenas 2% das fábricas estão preparadas para o futuro, prontas para inovar e atender o cliente como ele deseja.

Minha pergunta, neste cenário é se sua empresa está entre os 2% ou entre os demais 98%? Saiba que com a Internet e com o mundo cada vez mais globalizado, seu cliente poderá te substituir muito rapidamente se você não inovar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário