Páginas

terça-feira, 20 de junho de 2017

Como um ERP pode ampliar o número de clientes

Por Gabriela Vitória, redatora na empresa GestãoClick, estudante de direito e formada no Coleguium Rede de Ensino, entre as 10 melhores escolas do Brasil.

O foco de qualquer empresa é aumentar o seu lucro, para isso, é preciso que sempre haja pessoas interessadas no produto ou serviço oferecido. O ERP pode ampliar o número de clientes na área de vendas, e, ainda, ser um grande aliado do empresário que deseja ter mais controle sobre seu negócio.

O ERP, em inglês Enterprise Resource Planning, é uma ferramenta de gerenciamento de recursos e setores desenvolvida para ajudar você a organizar o seu empreendimento. Todos os dados são armazenados em um único sistema que facilita o acesso a informações importantes.

Muitas empresas ainda não sabem como usar o software para melhorar seu desempenho, principalmente em relação a novos clientes. Contudo, esse tipo de plataforma é essencial para que o empresário saiba como gerenciar seu negócio,visando o maior potencial de lucratividade.

Por que o ERP pode ampliar o número de clientes?


É comum muitas pessoas questionarem como o ERP online pode ampliar o número de clientes. A verdade, é que a ferramenta é essencial para qualquer empresa que deseja ter um controle maior sobre todos os setores. Entenda como esse sistema vai te auxiliar.
  • Sempre pronto para atender: A funcionalidade de controle de estoque em um ERP online permite que você gerencie tal departamento da sua empresa com maestria. Assim, você sempre terá acesso às informações para manter disponível os produtos que seus clientes mais procuram. Dessa forma, você não perde clientes por não ter produto a pronta entrega.
  • Vendedores têm Mais Informações: O ERP pode ampliar o número de clientes justamente por oferecer mais informações importantes para os vendedores que poderão, então, tomar atitudes mais eficazes. Um sofwtare online permite que você emita relatórios sobre seus clientes te dando mais informações e tornando as vendas mais rápidas
  • Ajuda a Empresa a Entender seus Clientes: Ao saber a idade, sexo, onde reside, grau de instruções e outros dados dos seus clientes, você pode criar ações de marketing que façam com que eles se identifiquem cada vez mais com o seu produto ou serviço.
  • Estratégia de marketing: Diversas empresas têm adotado um software até mesmo para auxiliar na estratégia de marketing. Isso porque ao ter conhecimento exato do que é mais vendido, através do controle de vendas, você pode investir ainda mais na promoção desse produto. Em muitos casos, o empresário pode avaliar que determinados itens com pouca saída não são vantajosos para o seu negócio.
  • Venda mais rápido: Um sistema de gestão torna as suas vendas mais rápidas, já que possui a funcionalidade de venda Balcão PDV. Dessa forma, a sua empresa fica marcada pela eficiência e agilidade, atraindo clientes e fidelizando os que já conhecem sua loja.
  • Simplifique Processos: O software irá ajuda você a simplificar processos e ações que antes exigiam muito tempo e desgaste, tais como: reunir resultados, planejar estratégias, criar gráficos de investimentos e etc. 
Esses fatores mostram não somente que o ERP pode ampliar o número de clientes, mas, também, como o programa ajuda o empresário a gerenciar, de maneira mais fácil e eficaz, todos os recursos e setores do seu negócio.

De que Maneira Devo Utilizar Esse Software


O melhor jeito de se usar o ERP para ampliar o número de clientes é cadastrando todos os dados possíveis sobre eles no sistema, bem como as informações da própria empresa. Ao invés de separar tudo em dezenas de planilhas, concentre tudo de relevante no seu empreendimento em um só lugar.

Dessa maneira, por exemplo, o setor de vendas poderá consultar diretamente as informações do estoque, bem como do departamento de entregas. Isso irá facilitar todos os processos, e, ainda, irá construir um histórico que poderá ser analisado futuramente para a busca de melhorias.

Além disso, o ERP pode ampliar o número de clientes por meio do estudo do perfil de cada um. Saber os gastos e preferências de cada consumidor irá ajudar a empresa a elaborar estratégias para conseguir mais compradores.

Informações na Mão Agora é só Agir


Depois de inserir um sistema ERP em sua empresa, e colocar todos os dados dela no programa, chegou a hora de usá-lo para melhorar o gerenciamento do seu negócio.

Aproveite que a ferramenta interliga setores e departamentos e construa planos de ação em conjunto para obter melhores resultados no seu negócio. Tenha em mente que todas as informações podem ser aproveitadas para criar estratégias específicas.

O ERP pode ampliar o número de clientes, mas essa é apenas uma das suas funções. Estude como o programa opera e de que modo a sua empresa pode aproveitar ao máximo a praticidade que ele oferece.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Inovação enxuta baseada em lean startup

Por Sandra Elisabeth

Na RevistaExame de 07 de junho de 2017 a jornalista Aline Scherer publicou a seguinte matéria: “A vez da inovação enxuta”, apresentando como novidade o método Lean Startup usado em empresas para melhorarem seus processos inovadores.


Pois bem, talvez para estas empresas citadas (P&G, GE, Grupo Votorantim e Faber Castell) realmente seja novidade. Porem, na Sýndreams já utilizamos este método para inovar em empresas há algum tempo!


Apenas recapitulando: o Lean Startup é uma metodologia ágil de desenvolvimento de clientes, ou seja, uma forma rápida de descobrir o que o cliente realmente deseja comprar. 

Utilização da metodologia Lean Startup nos processos sucessivos de filtragem das ideias para a concepção de novos produtos ou serviços (Baseado em SLACK, 2009).

E para isto precisamos:

1º Plan: Planejar rapidamente, com o uso do Modelo De Negócios Canvas, para escolher entre as diversas opções de inovação;

2º Do: Construir, fazer, desenvolver o MVP – produto mínimo viável;

3º Check: Checar, testar como os clientes reagem a este MVP, estão ou não comprando?

4º Action: Agir, analisar os dados coletados e pivotar ou transmutar o produto para atender a necessidade do cliente.

São passos simples, que dão rapidez e agilidade as empresas, permitindo que elas inovem tanto quanto as startups do Vale do Silício.

Fato cada dia mais comprovado!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Porque é tão difícil fazer vendas

Por Sandra Elisabeth

Vendas é um dos componentes do marketing. Vender consiste em oferecer e comunicar ideias, produtos e serviços em troca de dinheiro e feedback de mercado. Porém, durante muitos anos vivemos sob o conceito de Ford, onde “todos podiam escolher a cor de um carro, desde que fosse preto”. E apesar deste conceito ser da década de 20, muitas empresas continuam “empurrando” seus produtos e serviços para seus clientes.

 

Alguns até tentam usar ferramentas mais modernas, como o Canvas, por exemplo, para auxiliar no planejamento das vendas, mas o fazem começando da “Proposta de Valor”, ou seja, o que eu tenho em mãos hoje e depois pensam para quem oferecer. Está errado! Continuamos fazendo como Ford na década de 20. A única mudança foi o formato do plano... Você continua dizendo: “Tenho um carro preto (valor), quem pode querer compra-lo (cliente)?”.

O conceito mais atual é o de primeiro conhecer quem é o meu cliente e com base nestas informações desenvolver ou ajustar o produto, serviço ou as estratégias de vendas. É assim que fazemos: nos perguntamos quem é o cliente? E depois, o que ele deseja comprar (valor)?
Claro, que corremos o sério risco dele NÃO querer comprar o que estamos oferecendo... E isso é bom! É a informação que precisamos saber para fazer as mudanças necessárias em nosso produto ou serviço.

Sem essa informação, talvez gastemos um “rio de dinheiro” em publicidade e propaganda e não conseguiremos obter retorno algum! Daí a culpa é da agencia de publicidade, é do consultor de marketing, etc...

Talvez até possa ser, afinal, buscar e conhecer o feedback do cliente é obrigação do setor de marketing... Mas quando a empresa não quer fazer a mudança, diz que o cliente está errado em pedir o que está pedindo, deve querer não vender mais!

Vender é difícil, porque infelizmente não gostamos de ouvir “não”; tratamos nossos produtos e serviços como filhos perfeitos e qualquer problema identificado é de quem está reclamando!

Quando aprendermos a ouvir as necessidades dos clientes e compreender o que eles realmente compram, vender fica mais fácil... começaremos a ver filas em frente de nossas lojas, assim como acontece com a Apple em dia de lançamento de produtos. Não é a quantidade de investimento em propaganda que te faz aumentar as vendas é o investimento em conhecer e atender o cliente que te diferencia dos concorrentes.


Vender é um dom, que tem apenas as empresas que sabem ouvir!

terça-feira, 30 de maio de 2017

Maio o mês da indústria

Por Sýndreams

Para quem não se lembrou ou não sabia, o último dia 25 de maio foi comemorado o dia da indústria.


Esta data foi escolhida em homenagem ao patrono da indústria nacional, Roberto Simonsen, que faleceu em 25 de maio de 1948. Roberto Simonsen foi um engenheiro, industrial, administrador, professor, historiador e político, além de membro da Academia Brasileira de Letras – ABL.

Roberto Simonsen.
Fonte: FIESP
Roberto Simonsen foi escolhido patrono da indústria nacional porque na década de 1930, desempenhou papel fundamental para a consolidação do parque industrial brasileiro. Ele sempre trabalhou a favor da indústria nacional.
Enquanto os países ricos estavam em conflito (1938 a 1945) o Brasil começava a fabricar os produtos até então importados da Europa e da América do Norte.
A inauguração da Siderúrgica de Volta Redonda foi o impulso que faltava para essa atividade que se tornava forte, mas ainda estava sob responsabilidade do Estado.
O mundo mudou, a indústria cresceu, mas ainda precisamos lutar pela indústria... Antes eram os governos que não tinham interesse no desenvolvimento industrial privado, hoje me parece que até mesmo os trabalhadores ainda não entenderam a importância da indústria.
Uma indústria forte garante bons empregos e bons salários, uma indústria falida quebra um país! Eu não estou falando das grandes multinacionais, que para quem não sabe de acordo com o SEBRAE no Brasil representam apenas 5% das empresas.

Isso mesmo, 95% das empresas no Brasil são micro, pequenas e médias empresas. Ou seja, cada lei, cada regra, cada gesto contra a indústria prejudica os pequenos empreendedores, que estão tentando melhorar sua própria vida e a de seus funcionários.


Minha sugestão: antes de criticar o empresário nacional, lembre-se que ele é como você e talvez tenha até um pró-labore menor que o seu salário, os “ricos” infelizmente não são a maioria...