Páginas

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Campinas: Ranking Connected Smart Cities 2019

por Stéfano Carnevalli

A cidade de Campinas, interior de São Paulo, ficou em 1º lugar no ranking Connected Smart Cities 2019.  Com objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil, o Ranking, elaborado pela Urban Systems, traz indicadores que qualificam as cidades mais inteligentes do País.

CSC Ranking Connected Smart Cities elaborado pela Urban Systems Brasil

No ranking Campinas (SP) é reconhecida por ser polo universitário, polo tecnológico, polo de
inovação e região industrial com forte apelo logístico e de distribuição:
• 1ª no recorte de Economia.
• 1ª no recorte de Tecnologia e Inovação.
• 2ª no recorte de Empreendedorismo.
• 3ª no recorte de Governança.
• 4ª no recorte de mobilidade e acessibilidade.

Esse destaque é acompanhado pela Sýndreams Aceleradora de startups e empresas que contribuiu com a pesquisa que além da cidade de Campinas, destacam-se ainda as cidades de Piracicaba, Valinhos, Vinhedo, Americana, Limeira, Rio Claro, Paulinha, Hortolândia, Indaiatuba, Araras e Jaguariúna.



Para os investidores parceiros da Sýndreams, esses são indicadores importantes, pois refletem em novos potenciais de mercado, principalmente nas áreas de Inovação Industrial, Economia Criativa e Agronegócio.

O Ranking é composto por 11 eixos temáticos e 70 indicadores que se conectam entre si, apontam relevância em mais de um eixo analisado. Verificando o indicador empreendorismo, percebe-se um aumento em relação aos anos anteriores, o que mostra o protagonismo das cidades em gerar novas empresas e startups.



Estar presente na cidade de Campinas é estratégico para a Sýndreams Aceleradora que está buscando parceiros internacionais para ampliar a sua atuação e potencializar novas startups na região.

Confira o relatório Connected Smart Cities 2019 completo, acessando:

https://conteudo.urbansystems.com.br/csc_urban_atual


segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Resumo do mês de agosto e setembro

Por Sýndreams


Os meses de agosto e setembro foram bem movimentados para a diretora da Sýndreams – Sandra Elisabeth.

Durante este período ela ministrou oficinas e palestras no interior de São Paulo!

No dia 30 de agosto aconteceu a palestra “Planejamento Estratégico Lean” no 4º EPEP – Encontro Paulista de Engenharia de Produção em Marília, onde falou para mais de 300 pessoas!

No dia 02 de setembro foi a vez de Bragança Paulista receber Sandra Elisabeth com a oficina de Modelo de Negócios Pessoal, realizada para os alunos de Engenharias da Universidade São Francisco, onde Sandra Elisabeth também é professora!

Já nos dias 03 e 04, ela realizou a oficina Criando produtos inovadores com a metodologia lean em Campinas e Itatiba, respectivamente, como parte do I CCET (Congresso de Ciências Exatas e Tecnológicas) promovido pela Universidade São Francisco.

A seguir algumas fotos dos eventos que contaram com a participação de Sandra Elisabeth!

















segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Startups x empreendedores x sucesso: como unir para conquistar?

Por Sandra Elisabeth


Uma startup de sucesso é aquela que validou seu produto, serviço e modelo de negócios no mercado e está ganhando dinheiro com suas vendas!


É claro que para isto acontecer é necessário preparo e disciplina por parte dos empreendedores e planejamento por parte da startup.

Sem estes itens é difícil sobreviver na atual conjuntura economica e de concorrência, já que a todo momento surgem novas tecnologias e produtos, não é mais possível “filosofar” se uma ideia será ou não boa, se vai ou não dar certo!


É preciso colocar a “mão na massa”, criar e testar no mercado para validar a ideia que se teve. Este processo tem que durar no máximo três meses! Qualquer coisa superior a este prazo corre o risco de morrer prematuro ou ainda de ser engolido pela concorrência!

Não faz muito tempo, um aluno me questionou sobre uma tecnologia específica que “poderia” existir para facilitar a vida dele! Uma semana depois, eu recebi um e-mail de apresentação de uma startup que já estava desenvolvendo tal tecnologia!

Se tudo acontece muito rápido, o planejamento também o deve ser, ou seja, continuamos precisando nos planejar, porém com mais velocidade e acertividade.



O Planejamento Estratégico Lean (uma junção do Lean Startup, Análise SWOT, Canvas, MVP, 5W2H e Orçamento Financeiro) oferece a possibilidade de planejar e executar o planejado em três meses, devido as etapas acontecerem simultaneamente.

Este modelo é testado e validado continuamente nas startups e empresas que passam pelo processo de pré-aceleração e aceleração da Sýndreams Aceleradora. O objetivo é bem claro: ao final do processo de pré-aceleração é obrigatório ter-se um produto ou serviço para vender. Já na aceleração, o objetivo é a startup ter ganhado tração!

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Trilha da Inovação: Inovação no Brasil


Por Sandra Elisabeth e Celso Carrer


Em julho de 2019 foi publicado o Índice Global de Inovação (IGI), uma pesquisa publicada anualmente pela Universidade Cornell, pelo INSEAD e pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), que tem como objetivo capturar as facetas multidimensionais da inovação e fornecer as ferramentas que podem ajudar na adaptação de políticas para promover o crescimento do produto a longo prazo, melhor produtividade e crescimento do emprego (GII, 2019). 

O relatório de 2019 mostrou que o Brasil caiu 2 posições de 2018 para 2019, estando na 66ª posição e perdendo para países como Uruguai (62ª) e Chile (51ª). Esta posição do Brasil, significa que o Brasil recebeu uma nota de 33,82; o Uruguai 34,32 e o Chile 36,64 de uma possibilidade de 0-100. O primeiro colocado neste Ranking foi a Suíça com 67,24 pontos e uma nota de 67,24.

Mas porque o Brasil caiu duas posições em tão pouco tempo? Devido a piora na avaliação dos insumos para inovação, que são o conjunto de ferramentas disponíveis no país para o desenvolvimento da inovação, que de acordo com o Relatório de Índice Global de Inovação, trata-se de:

1. Existência de uma relação positiva e estatisticamente significativa entre o tamanho da economia e o desempenho da inovação que indica essa escala e, portanto, um grande mercado que é capaz de sustentar as atividades de inovação com a demanda da inovação.
2. Economias com uma cesta de exportação diversificada que se estende além de algumas commodities são mais inovadoras.

Porém, nem tudo está perdido, o Brasil tem avançado nos resultados da inovação, saindo da posição 70º para a 67º, significando que melhorou a qualidade da inovação, medido por qualidade das universidades locais, internacionalização das invenções e qualidade de publicações científicas.

Perceba que a inovação perpassa pelo sistema educacional e de pesquisa acadêmica, o qual precisa ser reconhecido e buscado pelas empresas e startups para ampliar os resultados de desenvolvimento de produtos e serviços inovadores.

No atual momento econômico e histórico que vivemos inovar passa a ser decisivo para o crescimento e desenvolvimento de um país, empresa ou startup; e para o Brasil não é diferente.

Após uma leitura atenta ao Índice Global de Desenvolvimento fica claro que diferente do que o senso comum pode pensar, mudar o cenário de inovação do Brasil não é uma tarefa apenas das empresas, mas também das políticas públicas, que podem impulsioná-las investindo em educação, pesquisa e desenvolvimento.


REFERÊNCIAS

Cornell University, INSEAD, and WIPO. The Global Innovation Index 2019: Creating Healthy Lives—The Future of Medical Innovation. Ithaca, Fontainebleau, and Geneva, 2019. Disponível em https://www.wipo.int/edocs/pubdocs/en/wipo_pub_gii_2019.pdf. Acesso em 24 ago 2019.

GII. History Of The Global Innovation Index. Global Innovation Index. Disponível em https://www.globalinnovationindex.org/about-gii#history. Acesso em 24 ago. 2019

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Sandra Elisabeth faz palestra do 4º EPEP – Encontro Paulista de Engenharia de Produção

Por Sýndreams

O 4º. Encontro Paulista de Engenharia de Produção promovido pela Associação Paulista de Engenharia de Produção (SPepro) tem como objetivo debater os assuntos recentes e relevantes sobre o tema “Startups, Inovação e Engenharia de Produção”.

E nossa sócia diretora foi convidada para falar sobre “Planejamento estratégico lean”.

Durante a palestra Sandra Elisabeth ressaltou que uma “Startup precisa descobrir a coisa certa a se criar, que os clientes pagarão para ter” e que para isto acontecer é necessário planejar, porém sem perder tempo e com o mínimo recurso disponível, pois caso algo dê errado a startup tem tempo e fôlego financeiro para recomeçar, pivotar ou mesmo parar o empreendimento.

Para auxiliar neste processo, Sandra Elisabeth apresentou a ferramenta do Canvas MVP, que auxilia no desenvolvimento do produto mínimo viável, baseando-se no Business Model Canvas.

A seguir, algumas fotos do evento: