Páginas

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Quando buscar um consultor e quando procurar um mentor?

Por Sandra Elisabeth


Hoje quero conversar com vocês sobre a diferença entre mentores e consultores.

É muito comum a confusão entre o que é um mentor e o que é um consultor e para tentar deixar isso um pouco mais claro vou exemplificar cada um deles:


Foto de bruce mars

CONSULTOR:


Pense no consultor como um médico.

Quando você vai ao médico você diz a ele quais são os seus sintomas, o que  está sentindo, onde está doendo; e o médico com toda a sua experiência faz uma análise e lhe dá uma medicação.


Foto de rawpixel
Quando apenas a experiência do médico não é suficiente para chegar a uma conclusão sobre qual é o seu problema de saúde, este lhe pede alguns exames para ter certeza do diagnóstico final.


O médico não vai pedir sua ajuda para solucionar o seu problema de saúde. Talvez ele peça ajuda para outros médicos, outros especialistas, mas nunca vai pedir a opinião do paciente a respeito do assunto e nem se o paciente concorda ou discorda de uma determinada medicação ou dieta.

Assim funciona com os consultores: ele faz um diagnóstico da sua empresa para saber quais são os sintomas que ela apresenta, faz alguns exames no fluxo de caixa, nas vendas, nos dados de cliente, funcionário, fornecedor e te entrega um resultado. Tudo o que você precisa saber e fazer estarão neste documento.


Foto de Carlos Muza
O consultor irá te “receitar” o que fazer e lhe dirá quais são as consequências caso você não faça exatamente o que ele diz! Acompanhará a empresa durante um grande período, muitas vezes por mais de 20 anos, para ajustar o “tratamento”.


O trabalho do consultor é de importante porque com ele a empresa consegue ter um diagnóstico rápido, uma solução definitiva e consegue voltar a respirar, a ter vida, assim como o médico faz com seus pacientes.

E assim como o médico é procurado pela pessoa física quando esta está doente, o consultor geralmente é buscado quando a pessoa jurídica está passando por dificuldades.

MENTOR

O mentor é mais parecido com um professor.

Quando um aluno de medicina (para manter o exemplo na área de saúde) não consegue resolver um problema, ou compreender qual o problema de um paciente, o professor procura ajudar o aluno a pensar sobre o assunto, fazendo perguntas, explicando causas e consequências e ensinando o aluno fazer diagnóstico e fazer tratamento.


Foto de Kelsey Knight
Este professor irá acompanhar o aluno durante toda a vida acadêmica dele (as vezes por apenas um semestre), mas não pela vida inteira, pois partirá do pressuposto que se este aluno “passou”, ele sabe fazer e não precisa mais da ajuda do mestre.


Na verdade, este aluno poderá ser o próximo mestre, dando sequencia ao legado deste professor!

E assim é o mentor com o empreendedor ou empresário. O objetivo da mentoria é “ensinar” (em um sentido amplo – por isso mentorar seria mais indicado) o empresário a tomar as decisões relativas à sua empresa.

O objetivo da mentoria não é resolver os problemas da empresa, mas sim se antecipar à eles, ou seja, serve para lançar novos produtos, atacar novos mercados, criar coisas novas, para inovar e entrar na Indústria 4.0.


Foto de Brooke Cagle
A ideia da mentoria, então, é que o empreendedor receba ajuda, auxílio para desenvolver novidades e voltando a analogia do mentor com o professor; em sala de aula a ideia do professor não é simplesmente contar para o aluno qual é o resultado do problema e sim ensinar este a resolvê-lo. O professor não vai entregar tudo pronto ele vai ensinar o aluno a encontrar a melhor solução para aquele caso, para aquele problema.


EM RESUMO
Por isso diferente do consultor o mentor não precisa conhecer tudo a respeito de um determinado assunto. Ele precisa na verdade conseguir ajudar o empresário ou empreendedor a desenvolver e aumentar suas habilidades para resolução de determinado problema.


Foto de Alvin Mahmudov
Efetivamente é um modo diferente de ver e de se analisar e que causa estranheza para muitas empresas e empresários que estão acostumados com a resolução dos problemas entregues por consultores.


Por isso é comum as empresas pedirem para o consultor suas indicações, quem já atendeu, quais os resultados. E é importante, porque ajuda o empresário e empreendedor a medir o tamanho da experiência que ele (consultor) tem.

E voltando a analogia com o médico, é claro que ninguém vai procurar um otorrino quando tem problemas de coração.

Agora quando estamos falando em mentoria, nós não estamos falando em alguém que é especialista em determinada área, mas alguém que vai ajudar você a entender o seu problema e a resolver isso.

Quando doente, você busca o médico; quando deseja aprender coisas novas procura um professor. E é claro, que às vezes esse professor também pode ser médico e esse médico professor. Em nossa analogia, um mentor pode também ser consultor e vice versa!

E lembrem-se que nem todas as ferramentas servem para todos os parafusos e porcas.

Espero que este pequeno exemplo tenha ajudado a pensar um pouco mais sobre a igualdade e a diferença entre mentores e consultores.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

O eCommerce para empreender

Por Nivaldo J Silva


Quando pensamos em abrir um negócio, já imaginamos em abrir uma loja física ou montar uma indústria de um produto inovador. Em muitas situações o investimento é de valor alto e com grande risco e temos que encontrar uma outra ideia de negócio.

Uma boa opção é investir em venda online, existem muitas opções de vendas pela internet, vou apresentar algumas e deixar os links no blog para aprofundarem a busca do conhecimento.

A maneira inicial mais simples é vender produtos pelo Mercado Livre, é importante desenvolver uma parceria com algum fabricante ou distribuidor de um produto e vender oferecendo um valor que permita um lucro para sua empresa. Em várias palestras que assisti neste ano, a maioria absoluta ressalta que devemos trabalhar com o estoque do fabricante, pois, no começo não se sabe qual produto venderá mais ou menos.

Ao iniciar suas vendas no Mercado Livre, é interessante desenvolver um site próprio com o nome do seu negócio, com isso passa uma credibilidade maior para o cliente, divulgando uma foto com o logo da sua loja nas fotos dos produtos. Existem algumas opções no mercado com planos iniciais gratuitos. Um deles é a LojaIntegrada que oferece vários recursos no pacote free.

Os Marketplaces são locais onde você vende seu produto, paga uma taxa pela venda, mas o investimento inicial é zero, os principais são:
Mercado Livre
Magalu (magazine luiza)
Americanas.com (B2W)
Via Varejo
Amazon

O mercado mudou muito e os consumidores atuais vão até as lojas com seus celulares e consultam os preços dos produtos ali mesmo e podendo comprar online usando a internet da loja. Várias empresas já estão se preparando para esse novo comportamento do cliente e desenvolvendo a estrutura comercial para vender seus produtos em multicanais (ominichannel), que permite você comprar online e retirar na loja, devolver na loja se não gostar do produto, comprar na loja e entregar online, dentre várias opções. As grandes redes de magazines já estão preparadas para essa evolução das compras e da mudança de comportamento dos consumidores.

Para os pequenos negócios ainda é difícil, mas é importante ficar atento ao que está acontecendo no mercado e tentar aproveitar a oportunidade. Aconselho pesquisar na internet palestras sobre o tema, assistir as palestras do Vtex Day, no site, eles disponibilizam as palestras que debatem os temas mais importantes da venda online, que são: as plataformas; marketing digital; logística; meios de pagamento e fidelização dos clientes; a importância das redes sociais; assim como uma boa foto pode ajudar na venda. Não poderia deixar de citar a equipe da Xtechque são excelentes e com atendimento nota 10, a plataforma oferece muitas configurações o que ajuda muito o empreendedor que está iniciando sua loja.

O Brasil possui uma população muito grande sem acesso a internet, algo próximo dos 50% segundo o SEBRAE, o que mostra uma grande oportunidade, quando esse número diminuir teremos um grande percentual da população com acesso as compras online.

Ao pensar em abrir um negócio online, procure se capacitar sobre o mercado e uma boa dica é o site do SEBRAE que possui muito material e cursos online para o planejamento do seu negócio.

No próximo artigo aprofundaremos mais sobre os passos para se planejar e abrir um negócio online.
Fiquem com Deus e até mais.

Um abraço.

Nivaldo J Silva, diretor do CIESP de Santa Bárbara d´Oeste,
diretor do e-Commerce www.LuGuicommerce.com.br