Páginas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

A velocidade exponencial da indústria 4.0

por Stéfano Carnevalli



A indústria será sempre um pilar de geração de inovação, conhecimento e riquezas de uma sociedade. Olhando o passado, é fácil observar que a história da humanidade sempre avança a partir das transformações dos processos de manufatura. Com isso temos oportunidades, problemas, soluções, defeitos, felicidades e tristezas. Faz parte da evolução!
O que temos nessa manufatura avançada (industria 4.0) é uma velocidade de transformação exponencialmente mais rápida que as anteriores.
No decorrer desse texto, vou trazer premissas, desafios, possibilidades e sugestões para tentar ajudar empresários, principalmente de pequenas indústrias, a buscarem um caminho rumo a indústria 4.0.

Premissas

Vamos alinhar alguns conceitos por meio de frases que nos ajudam a entender o atual cenário:

“Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”, Klaus Schwab, autor do livro A Quarta Revolução Industrial (2016).

O que faremos nos próximos 30 anos – as pontes que construímos até a abundância – afetará o futuro da raça humana nos próximos milênios. Nós estamos vivendo o momento mais emocionante da história humana. Peter Diamandis  (2015).


Peter Diamandis – 7º Congresso CNI 2017

“Agora que podemos fazer qualquer coisa, o que faremos?” Exposição Massive Change (2011) by Bruce Mau (designer futurista).

“Indústrias não morrem. Elas se transformam. A agricultura foi altamente impactada pelas inovações das últimas décadas. O setor de transportes está prestes a ser modificado pelos carros autônomos. Mas isso não quer dizer que esses mercados estejam desaparecendo, apenas se transformando.” Raymond Kurzweil autor do livro The Singularity Is Near.

“Pesquisa é transformar dinheiro em conhecimento; inovação é transformar conhecimento em dinheiro”. Geoff Nicholson (ex presidente da 3M) citado no livro “O desafio da inovação” de Renato Cruz (2011).

“Uma startup é uma instituição humana desenhada para criar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza.” Eric Ries (The Lean Startup – 2012).


Desafios

Os desafios para indústrias se tornarem 4.0 partem inicialmente de uma mudança de mindset de quem está a frente da tomada de decisão. É necessário preparar-se para os novos conceitos, novos clientes e novas tecnologias.
Algumas indústrias serão reinventadas do zero, outras fecharam as portas e novas formas de manufatura estão surgindo. Como empresário, precisamos estar preparados e aceitar essa mudança.
Do ponto de vista do mercado, o principal é compreender, antecipar e entregar valor para o cliente final. Se o caminho é longo da indústria ao cliente final, precisamos encurtar a proposta de valor e chegar o mais próximo possível dele.

 Sýndreams participou do 7º Congresso CNI 2017

Após essa aceitação e compreensão, indico um estudo elaborado pelo SENAI (2018) que indica quatro passos para que as industrias sigam o caminho do modelo 4.0. São eles:

1) A INDÚSTRIA DEVE ENXUGAR SEUS PROCESSOS PRODUTIVOS. Manufatura enxuta, eficiência energética e produção mais limpa.

2) A INDÚSTRIA DEVE REQUALIFICAR TRABALHADORES E GESTORES. É cada vez mais importante que os profissionais sejam criativos e empreendedores, com capacidade de liderança e de comunicação.

3) A INSERÇÃO NA INDÚSTRIA 4.0 DEVE SE INICIAR POR TECNOLOGIAS JÁ DISPONÍVEIS E DE BAIXO CUSTO. Homem e máquina devem trabalhar lado a lado para tornar o sistema produtivo cada vez mais eficiente.

4) A INDÚSTRIA DEVE INVESTIR EM PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO. Unir a solidez de grandes indústrias à criatividade de startups nesse processo de inovação é um dos caminhos mais promissores na resolução de soluções para problemas globais.


Possibilidades

Vou citar algumas possibilidades de manufatura para ampliar sua visão e ajudar a mudar seu mindset (os links para os websites estão no final desse artigo).

MX3D
A MX3D Desenvolve tecnologia de fabricação aditiva robótica inovadora. A visão é que os robôs da empresa construirão construções leves, como pontes, edifícios completos ou navios personalizados otimizados.



LOCAL MOTORS
A Local Motors é uma empresa de mobilidade terrestre focada em moldar o futuro para melhor. Fundada em 2007 com a crença na colaboração aberta e co-criação, a Local Motors iniciou a fabricação de veículos de baixo volume de projetos de código aberto usando múltiplas micro-fábricas.





ICONBUILD
A IconBuild através de robótica avançada e materiais de ponta fornece soluções sustentáveis ​​para construção residencial.





DANIT PELEG
A marca da estilista visualiza um mundo em que qualquer pessoa poderá comprar arquivos e imprimir roupas em casa ou em lojas designadas. Pelo site da empresa é possível personalizar e solicitar um modelo de jaqueta impressa.



Sugestões

Nesses mais de 20 anos que acompanho inovações provocadas por empresas de internet, identifiquei também várias startups de outros setores que foram construídas seguindo os mesmos princípios.
Vou descrever alguns princípios como sugestões que você pode levar sua indústria rumo ao modelo 4.0.



  • Diversidade de conhecimento da equipe. Promova treinamentos em novos softwares como o Power BI da Microsoft, novas metodologias com utilizar o Business Model Canvas ou o Lean Startup.

  • Conheça as Tecnologias relacionadas a Indústria 4.0: Data Science, Inteligência Artificial, Robôs Autônomos e cooperativos, Compartilhamento e Integração de Sistemas, Simulações, Internet das Coisas, Computação em Nuvem, Cyber Segurança, Blockchain, Manufatura Aditiva, Impressão 3D e Realidade Mista. Leia sobre, compartilhe novidades com sua equipe.

  • Pensar e agir como uma startup. A metodologia de planejamento precisa ser atualizada. O livro “Planejamento Lean Startup” de Sandra Elisabeth e Robisom Calado é uma ótima dica para as equipes.

  • Crie ambientes de aproximação com startups. Apreenda a errar rápido para acertar logo!

O conteúdo ainda é extenso, mas gostaria de provocar suas dúvidas, seus anseios, o que te move rumo a essa nova forma de manufatura?
Referências e links


Stéfano Carnevalli, atua como consultor e palestrante auxiliando empresas a mudarem seu MINDSET e entrarem na era exponencial. Visionário, sempre busca enxergar o próximo passo do mercado. Apoiou a criação de diversas startups e é um dos fundadores da Sýndreams Aceleradora de startups e empresas. www.stefano.carnevalli.nom.br


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Laboratório de Modelagem do Programa Conexão Startup Brasil

A equipe da Sýndreams Aceleradora de startups e empresas, participou do Laboratório de Modelagem do Programa Conexão Startup Brasil promovido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Softex e o CNPq.



A reunião de trabalho aconteceu na quinta-feira (14/02/19), na sede da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), reunindo instituições de apoio, aceleradoras, incubadoras e fundos de investimentos. O programa Conexão Startup Brasil tem o objetivo de apoiar equipes empreendedoras e startups em estágios bem iniciais com ideias de soluções para demandas reais de mercado. É uma ação integrada de ideação, conexão, mentoria e investimento. Os participantes receberão capacitação para melhorar seus produtos e podem receber até R$ 200 mil em investimentos seed.


Na abertura analista em Inovação da ABDI, Isabela Gaya, responsável pela condução dos trabalhos, fez um balanço bastante positivo do primeiro dia do laboratório e reforçou a importância das parcerias para desenvolvimento do país. O Diretor do DEMPI FIESP, Marcos Zekcer, também reforçou a importância do fomento de startups e inovação para indústria. Diônes Lima, Vice-Presidente da SOFTEX agradeceu a participação de todos e mencionou sobre as oportunidades e desafios do programa.

Sandra Elisabeth, Diretora Syndreams Aceleradora
Sandra Elisabeth, representando a Sýndreams Aceleradora, indicou alguns desafios, destacando principalmente a necessidade de equipes mais multidisciplinares a frente das startups no Brasil. Também representando a Sýndreams, Stéfano Carnevalli comentou sobre a importância dessa participação: "Bom poder participar, contribuir e rever amigos com o mesmo objetivo: fomentar a inovação e o empreendedorismo no Brasil.".

Stéfano Carnevalli - Diretor Sýndreams Aceleradora.
O evento contou com participação de fundos de investimento, aceleradoras e profissionais como Nei Grando (Especialista em Inovação), Vincenzo Lasalvia (Inova Vinhedo), também da Universidade São Francisco (USF - Campus Bragança Paulista), representada pela Coordenadora do Núcleo de Empregabilidade e Empreendedorismo (NEP), professora Andréia Pimentel.


Representantes de inovação, aceleradoras e incubadoras e Universidades
 em reunião do Conexão Startup Brasil na FIESP.


Mais sobre:







segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Sýndreams apresenta: Sandra Elisabeth

Por Sýndreams


A partir de hoje a Sýndreams Aceleradora irá apresentar seus diretores e mentores, de maneira integral, contando um pouco da história de cada um e como eles lhe podem ajudar.

Vamos começar contando sobre nossa diretora e mentora Sandra Elisabeth, que após se formar como Técnica Administrativa na ETEC – Polivalente de Americana foi trabalhar em uma escola de informática e idiomas, iniciando como recepcionista e três anos depois já havia se tornado a gerente da escola.

Sandra Elisabeth
Leitura de artigo publicado na IV Mostra de Responsabilidade Social da UNISAL
Nesta época, já era estudante na graduação de Administração na UNISAL, onde ao final do curso ganhou o “Mérito Acadêmico” como uma das melhores alunas de Administração do Estado de São Paulo. Prêmio este entregue pelo CRA – Conselho Regional da Administração!

Sandra Elisabeth
Com Placa "Mérito Acadêmico"

Já formada, se tornou gerente do setor de acabamento de uma grande empresa de recordações escolares e durante 2 anos trabalhou desenvolvendo e melhorando os processos de produção e de qualidade da empresa.

Buscando sempre se aperfeiçoar, Sandra Elisabeth foi fazer a pós graduação em Gestão de Marketing, também no UNISAL, período onde passou a atuar em uma associação, auxiliando os gestores e diretores no que diz respeito à gestão de pessoas e economia criativa.

Sempre estudando e pesquisando assuntos relacionados ao desenvolvimento e crescimento empresarial, ela percebeu que alguns problemas gerenciais, administrativos e até inovativos nasciam com “problemas” nas empresas e que se houvesse uma forma de prevenir que isto acontecesse tudo seria mais fácil.

Sandra Elisabeth
Palestra na UNIMEP


Sandra Elisabeth
Palestrante no INSPER
Lembrando de suas aulas de planejamento estratégico, onde o professor ensinou a fazer o plano de negócios e vivendo a realidade de que uma empresa só vai se preocupar com isso quando está com problemas, ela começou a pesquisar o que estava acontecendo no mundo e qual era a tendência.

Foi quando percebeu que esta não era apenas uma preocupação dela, mas de muitas outras pessoas ao redor do mundo e que estava sendo resolvido através do que conhecemos como “Processo de Aceleração de Startups”.

Com o propósito de auxiliar empreendedores a realizarem seus sonhos, Sandra Elisabeth juntamente com seu sócio Stéfano Carnevalli lançaram a Sýndreams Aceleradora de Startups e Empresas.

Sandra Elisabeth
Palestrante na UNICAMP
Porém uma Aceleradora não constrói sonhos. O que constrói sonhos são as ações e Sandra Elisabeth se debruçou em todas as teorias que envolviam o assunto Startup e Empreendedorismo. Pesquisou muito, leu todos os grandes autores nacionais e internacionais e com base no conceito Lean Startup desenvolveu sua própria metodologia de aceleração, que após dois anos de aplicação e ajuste se transformou em seu primeiro livro, o “Transformando ideias em negócios lucrativos: aplicando a metodologia lean startup”.

Sandra Elisabeth
Ferramentas desenvolvidas e aplicadas no Planejamento Estratégico Lean
As publicações não pararam por aí, como sabem ela tem mais um livro publicado o “Pensamento Estratégico Lean” e está se preparando para o terceiro livro, agora para tratar sobre Inovação e Gestão, tema de seu mestrado que está sendo desenvolvido na Universidade São Paulo – USP.

Os propósitos pessoais de nossa mentora e diretora são tão grandes e fortes na busca de auxiliar no crescimento pessoal e profissional de quem está à sua volta, que se tornou professora universitária há 8 anos atrás, lecionando atualmente na Universidade São Francisco, onde também atua como assessora de coordenação.

Sandra Elisabeth
Alunos e professores do curso de Gastronomia/2018 da USF
E se parece que ela não tem tempo para conversar com você empreendedor, lembre-se que nas palavras de Benjamin Franklin “se você deseja um trabalho bem feito, escolha alguém ocupado; os outros não têm tempo”.

Mais sobre Sandra Elisabeth e seus livros acesse: www.sandraelisabeth.com.br



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Análise de Dados pode facilitar a definição e medição de KPIs

por: Stéfano Carnevalli

Estamos experimentando um processo acelerado de uso de inovações e com isso o cenário de incerteza aumenta. A Análise de Dados (ou Data Science) é um conjunto de competências que ganha força nesse contexto e pode ajudar empresas a definir e medir KPI’s.

Photo by Stephen Dawson on Unsplash

Os indicadores-chave de desempenho (KPI- Key Performance Indicator) auxiliam a gestão dos negócios, permitindo que as equipes atinjam seus objetivos e cumpram a missão da empresa.

Definir quais melhores KPIs ainda é um desafio para empresas e principalmente como fazer para motivar e engajar a equipe para realizá-los.

Hoje as empresas para alcançarem suas metas, precisam migrar para uma cultura de dados em todos os setores. Obter, analisar e transformar dados em informação útil, auxilia a definição de quais indicadores devem ser utilizados em cada momento.

Dashboard desenvolvido com Power BI incluindo diversos indicadores de desempenho.
Uma aplicação Data Science por exemplo pode reunir numa mesma analise dados do setor de vendas, dados da equipe, dados demográficos e econômicos das regiões e com isso criar um indicador com informações de previsibilidade de faturamento. É bom observar que estamos falando de previsibilidade e não de meta de faturamento. A diferença é que na analise podemos alcançar algo mais próximo do real, e com isso manter uma equipe mais adequada e prever quais treinamentos necessários para o melhor resultado.

Algumas startups estão atuando nesse setor, e trazendo soluções pontuais que auxiliam as empresas a definirem melhor smas temos também ferramentas de fornecedores tradicionais como por exemplo o Power BI da Microsoft que tornam mais fácil o dia a dia das empresas.

-------------------------------------------------------------------------------
Sýndreams Aceleradora de startups e empresas
criativa@syndreams.com.br