Páginas

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Startups oportunidades 2017: Brasil 100% Digital e Brasil mais Produtivo

por Stéfano Carnevalli

O ano de 2017 será um ano decisivo para retomada do crescimento e desenvolvimento do Brasil. Alguns programas e propostas do atual governo federal estão ajudando a sinalizar os possíveis cenários para os próximos anos.

Nos programas Brasil 100% Digital e Brasil mais Produtivo há oportunidades reais para startups de diversos setores, principalmente aquelas que podem atuar com o Governo e as Industrias.

Brasil 100% Digital

Um dos eventos promovidos pelo pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), pela Secretaria Geral e Casa Civil da Presidência da República e pelo TCU apontou as principais alterações e metas para o plano a Política de Governança Digital (Decreto 8.638/2016) e da Estratégia de Governança Digital (Portaria 68, de 07.03.2016), bem como várias ações de controle voltadas à indução do desenvolvimento digital.

Essa segunda edição do Seminário Internacional, que aconteceu em novembro de 2016, apontou algumas oportunidades para startups nas seguintes áreas:

  • Controle Externo e Serviços Públicos na era Digital (programa de Inclusão Digital, TI pública e controle digital)
  • Geotecnologias, Analytics e Big Data no Controle (Auditoria de folhas de pagamento e de dados abertos, Fiscalização de obras, demandas e previsão de infraestrutura)
  • Participação Social e Acesso a Informação (Participa.BR, Transparência e Controle Social)
  • Segurança (Uso de biometria, Internet das Coisas, 

Nas apresentações e debates entre especialistas destaca-se o aumento gradativo e continuo de ações para digitalização. Com isso soluções envolvendo aplicativos e softwares serão demandados por diversos setores de governo nos âmbitos Federal, Estadual e Municipal.


Brasil mais Produtivo


O Programa Brasil Mais Produtivo atenderá três mil indústrias de pequeno e médio porte
em todo o Brasil, com o objetivo de aumentar em 20% sua produtividade. A iniciativa é
do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), SENAI, APEX-Brasil e ABDI, com a parceria do SEBRAE e BNDES.

Para mensurar a efetividade dos resultados, os indicadores de produtividade serão medidos no início e no final do programa com um total de 120 horas de atendimentos de consultoria do SENAI.

Para a avaliação dos resultados, serão utilizados quatro indicadores:

  • Produtividade: o aumento da quantidade de unidades produzidas em um espaço de tempo;
  • Movimentação: a diferença entre o tempo de movimentação antes e depois do programa;
  • Qualidade: a diferença entre o retrabalho antes e depois do programa;
  • Retorno financeiro: a diferença entre o retorno financeiro e o que foi investido no programa.

O MDIC estuda a ampliação do programa Brasil Mais Produtivo em mais duas etapas. A próxima linha de expansão deverá abordar a Eficiência Energética das Indústrias. A terceira fase do projeto de expansão contempla os instrumentos de Manufatura Avançada.
Para startups há várias oportunidades para oferecer serviços e produtos para as Industrias participantes do programa, como por exemplo: controle de produção, canais de comercialização, robótica, novos materiais, monitoramento e desempenho de equipes.

Referências:

Seminário Internacional Brasil 100% Digital 2ª edição
Palestra Estratégia de Governança Digital para o Governo Federal - Ministro Dyogo Oliveira - Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

Vídeo no canal do TCU sobre o evento: https://www.youtube.com/watch?v=kEr0yLnjY5w

Brasil Mais Produtivo
Perguntas e Respostas, resumo do programa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário