Páginas

segunda-feira, 29 de junho de 2020

A narração de dados ajuda a tomada de decisão

por Stéfano Carnevalli

Na grande missão da Ciência de Dados, a narração de dados têm se destacado como um elemento importante que ajuda a tomada de decisão, transformando informações complexas em algo mais simples de compreensão. Quanto mais a comunicação das informações são compreendidas pelo público-alvo, mais a sua tomada de decisão se torna ágil e assertiva.



No livro “Data Science (The MIT Press Essential Knowledge series)” os autores John D. Kelleher e Brendan Tierney reforçam que o objetivo da ciência de dados é melhorar a tomada de decisões através da análise de dados. Dessa forma as análises e os insights têm um grande potencial de transformar negócios e a maneira como os decisores interagem com eles. 
Embora há uma certeza que o processo de tomada de decisão precisa ser cada vez mais com base em dados, há muitos profissionais que ainda preferem seguir sua intuição. E não estão totalmente errados, pois quando fazem isso, significa que não conseguiram perceber o valor ou confiança nos dados.
A Análise de Dados precisa ter fontes confiáveis e serem apresentadas. Esse conjunto organizado e planejado aumentará a confiança e credibilidade para as pessoas tomarem decisões com base em dados. E uma narrativa em torno dos dados ampliará ainda mais a sua compreensão nesse mundo veloz e de rápidas decisões. 

O desafio de todo potencial da análise de dados está relacionado às pessoas. Enquanto há uma expansão de cientistas de dados e especialistas em big data, há uma demanda ainda pouco explorada de profissionais com competências para planejar a narrativa de dados e comunicar de forma eficaz. Contar uma história combinando palavras e números será a próxima fronteira no complexo mundo da análise de dados.
Quando analisamos o número de pessoas que acessam determinado conteúdo em um vídeo, o primeiro impulso é a quantificação, quantas pessoas assistiram. Porém  é insuficiente para tomar uma decisão em replicar mais ou menos conteúdos do mesmo tipo. Para responder essa perguntas temos que analisar outros dados  obtidos que podem explicar o por quê daquelas pessoas terem assistido aquele conteúdo. 
Contar a história desses dados ajuda o tomador de decisão a compreender as informações e ter mais confiança nos dados. Sim tomada de decisão envolve também confiança nos dados e no apresentador!






segunda-feira, 15 de junho de 2020


Resultados e imagens do lançamento do Livro Lean Six Sigma


Lean Six Sigma: 

Iniciativas para a Melhoria Contínua em  Operações e Serviços


Publicado pela Global South Press (USA – 2020).

Organizado por Robisom Damasceno Calado, PHD
.

Com os seguintes autores e co-autores:

Alexandre Beraldi; Alexandre L. de Souza; Ana Carolina Léo; Ana Cristina Miyazaki da Conceição; Ana Paula B. Sobral; André Alves Ribeiro; André Celso Scatolin; Angela Maria Alves; Antonio Batocchio; Camilla Oliveira; Carlos Alberto Chaves; Cássio Almeida; Celso da Costa Carrer; Cícero Vasconcelos Ferreira Lobo; Cleide de Marco Pereira; Clenio F. Salviano; Cristiane Hottz; Cristóvão Silva; Daniel Carelli; Denis Rosa; Diogo Leão; Emanuel Isaac dos Santos; Fabio Eduardo Hukai; Felipe Araujo Calarge; Fernando Tobal Berssaneti; Flavio S. Machado; Fredjoger Mendes; Guilherme Silva da Rosa; Gustavo Jorge Martins de Aguiar; Gustavo R.Lima; Igor Farah Bersot; Izabelle Oliveira; Jéssica Alves Justo Mendes; Jessika Nascimento Gil de Moura; João Conceição; Lívia Coelho; Luiz Antônio de Oliveira Chaves; Marcelle Paraiso; Marco Aurélio Reis dos Santos; Maria Helena Teixeira da Silva; Maria Vaz; Mariana N. V. Nacif; Mateus. Carvalho Amaral; Natanael B. da Silva; Osvaldo Quelhas; Paulo J. A. Vaz; Raphael Pereira Scudino Borges; Roberta Dalvo Pereira da Conceição; Robisom D. Calado; Sandra Elisabeth; Sílvia Rocha; Stela Maris Coelho; Susilei Aparecida Ferreira de Alvarenga; Thiago Bittencourt Leite; Vanessa End de Oliveira; Vitor Eduardo Martins; Warley Gomes.

 Evento

O evento aconteceu dia 5 de junho de 2020, de forma online, com a participação de mais de 100 pessoas de várias localidades do Brasil.

Programação:



  • Abertura – Prof. Robisom Calado
  • Prof. Carlos Alberto Chaves – Aplicação do projeto Lean Kaizen em uma empresa de pequeno porte: Um estudo de Caso
  • Prof. Carlos Alberto Chaves – Mapeamento do Fluxo de Valor no processo de usinagem de cilindros de laminação de uma usina siderúrgica: Um estudo de caso
  • Prof. Felipe Araújo Calarge – Aplicações da Ferramenta de Gerenciamento de Riscos FMEA no Método de projeto Axiomático
  • Prof. Fredjorger Mendes – Utilização da abordagem DMAICS com foco na redução de não conformidades nos processos de inspeção e reparo de tubos e acessórios -Um Estudo de Caso em uma Empresa do Setor de Óleo e Gás
  • Prof. Clenio Salviano – Metodologias Lean Mindset e CERTICS para desenvolvimento e inovação tecnológica de software.
  • Sandra Elisabeth – Lean Startup: Como Indústrias estão Desenvolvendo Produtos Inovadores utilizando Metodologia Aplicada em Startups do Vale do Silício.
  • Natanael Santos – Evidências da Indústria 4.0 no ambiente Lean Hospitalidade
  • Alexandre Beraldi – Avaliação de unidade de saúde recorrendo à metodologia Baldrige e Lesat: um caso de estudo de um hospital da região de Macaé -RJ
  • Sobre a publicação do livro “Lean Six Sigma” – Prof. Robisom Calado


Carta…

Lean Six Sigma: 

Iniciativas para a Melhoria Contínua em  Operações e Serviços


Neste livro você encontrará bons casos, relacionados as aplicações de ferramentas e métodos do “Lean Six Sigma: Iniciativas para a Melhoria Contínua em Operações e Serviços”, onde se destacam os seguintes assuntos:
  • Lean Hospitalidade e as tecnologias da indústria 4.0
  • Gestão Visual e a Gestão Integrada de Indicadores
  • Lean Startup e Model Canvas
  • Método DMAIC e as ferramentas de gestão da qualidade
  • Downtime: Aumento do Tempo de Agregação de Valor
  • Gestão do On Time Delivery
  • Eficácia com Mapeamento de Fluxo de Valor
  • Impressão 3D e o aumento da Disponibilidade
  • ABC/XYZ e na Gestão do Estoque
  • BIM e Lean Construction
  • Lean Kaizen
  • Mapeamento do Fluxo de Valor em Usina
  • Teoria Grey System e a Previsão da Demanda
  • Lean Six Sigma no Turismo
  • Modelo mental Lean Mindset e a CERTICS
  • Impacto das Iniciativas Lean
  • Lean e a Readequação do Fluxo de Faturamento
  • Lean Thinking em Suprimentos
  • Impactos da Aplicação do Six Sigma
  • Gerenciamento de Riscos, FMEA e o Projeto Axiomático
  • Auto diagnóstico e os indicadores BALDRIGE e LESAT
Os experientes autores não tiveram a pretensão de esgotar a discussão sobre as ferramentas e métodos Lean Six Sigma, mas apresenta-se uma contribuição, com exemplos de aplicações das abordagens de melhoria contínua, Lean Six Sigma. Aqui temos casos, e pretendemos continuar colaborando com a disseminação da abordagem Lean Six Sigma e demonstra casos reais de resolução de problemas e melhoria de processos das empresas.
Graças aos notáveis pesquisadores e profissionais com experiência em Lean Six Sigma, nós publicamos recentemente outros livros na área de operações e serviços. Destaca-se duas obras “Lean Six Sigma Na Indústria de Óleo e Gás: Aplicações e Boas Práticas” e “Lean na Prática”, e podem ser adquiridas pelo site da amazon.
Desejamos a todos um ótimo evento e leitura!
Prof. Dr. Robisom D. Calado
robisomcalado@id.uff.br
Laboratório Design Thinking, Gestão e Engenharia Industrial
Instituto de Ciência e Tecnologia – ICT
Universidade Federal Fluminense – UFF

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Evento de lançamento do livro Lean Six Sigma: Iniciativas para a Melhoria Contínua em Operações e Serviços

Por Sýndreams Aceleradora


  • Data: 05 de junho de 2020
  • Horário: 14h00 – 16h00
  • Local: Online.
  • Inscrições gratuitas: Clique aqui.
  • Bônus: Inscreva-se e receba o e-book em primeira mão, gratuitamente no dia do evento.



                         

Lean Six Sigma: Iniciativas para a Melhoria Contínua em Operações e Serviços, novo livro organizado por Robisom Damasceno Calado, PHD, conta com a participação de mais de 60 autores e terá lançamento internacional, online, na próxima sexta-feira dia 05 de junho as 14h00.

Sandra Elisabeth, mentora da Sýndreams Aceleradora e professora da Universidade São Francisco, escreveu junto com o professor Celso Carrer, PHD o Capítulo 2. Lean Startup: Como Indústrias estão Desenvolvendo Produtos Inovadores Utilizando Metodologia Aplicada em Startups do Vale do Silício.

Os experientes autores não tiveram a pretensão de esgotar a discussão sobre as ferramentas e métodos Lean Six Sigma, mas apresentar uma contribuição, com exemplos de aplicações das abordagens de melhoria contínua, Lean Startup e Lean Six Sigma.

O livro apresenta casos reais de resolução de problemas e melhoria de processos das empresas e pretende continuar colaborando com a disseminação da abordagem Lean Six Sigma.

Graças aos notáveis pesquisadores e profissionais com experiência em Lean Six Sigma, foi publicado recentemente outros livros na área de operações e serviços.

Destaca-se duas obras “Lean Six Sigma Na Indústria de Óleo e Gás: Aplicações e Boas Práticas” e “Lean na Prática” que podem ser adquiridos na Amazon.

Um ótimo evento á todos!

terça-feira, 26 de maio de 2020

Economia Criativa e inovação na Indústria

por Stéfano Carnevalli

A Economia Criativa engloba setores como Moda, Software, Artes, Design, Música entre outros que potencializam o capital intelectual como fonte de criatividade para gerar valor econômico.

Os profissionais desse setor reforçam a importância na multidisciplinaridade das equipes para gerar inovação industrial.


A importância desses setores foram citados publicamente em 1983 no Reino Unido em discurso da primeira-ministra Margaret Thatcher: “reconhecemos que o investimento nas áreas de tecnologia e criatividade serão fundamentais para o crescimento econômico do Reino Unido.” Em 1994, na Austrália, o então primeiro-ministro Paul Keating lançou a política pública de estímulo à área cultural: “Creative Nation” onde foram destinados US$ 250 milhões em financiamento adicional às instituições culturais.

Podemos conceituar Economia Criativa como descrito pelo pesquisador e autor John Howkins “Economia criativa são atividade nas quais resultam em indivíduos exercitando a sua imaginação e explorando seu valor econômico” (2012). São negócios desenvolvidos a partir da criatividade  que geram valor econômico.

A UNESCO em seu relatório de 2018 identificou que a Economia Criativa movimenta mais de 2,25 bilhões de dólares por ano. Os destaques são a China, EUA, França e Itália que respondem pela a maior parte do volume de exportações globais dos setores criativos.

Inovação na Indústria

Em estratégias de Governo e Politicas Públicas, investir em setores de Economia Criativa provocam um crescimento exponencial em outros setores da economia com energia, agronegócio, biotecnologia e principalmente em inovação para Indústria. Que podem também contribuir com o aumento de exportações.

Temos acompanhado esse movimento de crescimento exponencial nos últimos dez anos principalmente nos setores de Tecnologia de Informação e Cinema. Grandes produções cinematográficas impulsionadas por artistas, cenógrafos, designers e desenvolvedores de software, trouxeram ao público técnicas e tecnologias que estão sendo hoje aplicadas na indústria, como por exemplo os ambientes de treinamento em realidade virtual.



Quando observamos as frentes de pesquisa e implementos da Indústria 4.0, percebemos que os profissionais dos setores criativos estão atuando para seu desenvolvimento acelerado. Essas novas tecnologias operadas por profissionais de setores criativos promovem inovações no ambiente da indústria que vão desde processos, produção, novos materiais e novos produtos.

Tecnologias que envolvem a Indústria 4.0

Uma visão importante é que as indústrias que contratam e trazem para suas equipes profissionais dos setores criativos estão ganhando velocidade exponencial em suas inovações e identificando novos mercados. Mudam sua forma de pensar, agregando seus conhecimentos com novas descobertas e aprendizados. Profissionais de setores criativos conseguem identificar mais rapidamente as necessidades e desejos dos potenciais clientes. Esse é o caminho para inovar. Inovação com foco no cliente.

Um caminho para iniciar pode ser criar conselhos criativos ou mesmo investir e se aproximar de startups que tenham essas características. Além de engenheiros, técnicos e administradores, a indústria das próximas décadas serão aquelas que reúnem em sua equipe desenvolvedores de software, designers, comunicadores, artistas e até músicos. 

No mundo atual e futuro, o Desenvolvimento Econômico e social está relacionado diretamente com investimento nos setores criativos.


Indicação de Leitura - Relatório publicado pela British Council e SEBRAE em 2018
A ECONOMIA CRIATIVA BRASILEIRA