Páginas

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Diretores da Sýndreams, Sandra Elisabeth e Stéfano Carnevalli foram painelistas no SENAI – Mogi Guaçu

Por Sýndreams

Sandra Elisabeth e Stéfano Carnevalli participaram como painelistas no painel sobre IoT e Indústria 4.0, dia 16 de outubro, no SENAI em Mogi Guaçu. O painel faz parte das ações do CIESP – NJE (Centro da Indústria do Estado de São Paulo – Núcleo Jovem Empreendedor).

Além de Sandra Elisabeth e Stéfano Carnevalli, diretores da Sýndreams, participaram do painel Giovani Machado, diretor da Teknova e Ricardo Tafas, especialista em gestão de P&D e Inovação na Repo Consultoria e Outsourcing.



No bate papo os painelistas discutiram os meios necessários para iniciar os processos de IoT e Indústria 4.0 nas empresas, qual o tipo de profissional que atende a estas necessidades, quais as tecnologias se adaptam a cada negócio e todo o necessário para fazer destes temas realidade nas empresas.

A seguir, algumas fotos do evento.





segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Tema do Mesa São Paulo 2019 será Cozinha de Transição: novos significados para um planeta em mutação

Por Sýndreams


A Chef Andreia Pimentel, parceira e mentora da Sýndreams, fará palestra de tendência no Mesa São Paulo 2019.

O tema da palestra será “Insetos: a entomofagia não é futuro, é agora!”.

O objetivo da palestra será apresentar aos presentes a possibilidade do uso de insetos na alta gastronomia, bem como as tendências e os números do mercado.

Sandra Elisabeth dividirá o palco com a Chef Andreia Pimentel para falar das tendências e a Chef Andreia Pimentel promete que haverá degustação de insetos para quem desejar!



O Mesa São Paulo 2019 é um dos eventos mais aguardados da gastronomia e acontecerá de 24 a 27 de outubro, no Memorial da América Latina.



segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Trilha da Inovação: Inovação no Mundo

Por Sandra Elisabeth e Celso Carrer


O mundo está em constante mudança! As pessoas estão mudando seus hábitos de consumo e de convivência. Estas mudanças muitas vezes chocam os mais conservadores ou os que não conseguem acompanhar as inovações presentes no nosso dia a dia.

Os avanços tecnológicos colocaram a Inteligência Artificial a disposição de qualquer pessoa, na palma da mão delas.

Apesar de sabermos disto, os dados do GII 2019 apontam que houve uma desaceleração no processo de inovação no mundo devido a dois fatores importantes: a. crise econômica mundial que faz com que as empresas diminuam seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento e b. a adoção desigual de inovação no mundo, ou seja, enquanto em alguns países se discute novas formas de se ir para a Lua, outros ainda precisam resolver questões mais urgentes como a fome.

O GII 2019 comparou as despesas mundiais em pesquisa e desenvolvimento entre os anos de 1996, 2006 e 2017, e foi possível verificar que com exceção da China, os demais países tem investido muito pouco (proporcionalmente) em inovações.

Figura 01: Comparação das despesas mundiais em pesquisa e desenvolvimento entre os anos de 1996, 2006 e 2017

Fonte: GII, 2019, p. 4
Nas grandes economias, em 20 anos, houve um crescimento de aproximadamente 90% nos investimentos em inovação. Porém, nos países de economias médias, como o Brasil (sem a China) é possível identificar um aumento médio de 195% nos investimentos em inovação.


É claro que se compararmos os números reais, ainda é muito pouco o que se investe em inovação nos países de economias médias!

O assustador é o quanto a China vem investindo em inovação!

Em 1996 ela investia em média 17 milhões de dólares em inovação. 20 anos mais tarde, ela passou a investir 403 milhões de dólares em projetos inovadores. Um aumento de aproximadamente 2.370% nos investimentos.

Se continuarmos neste patamar de investimentos em inovações, em breve teremos uma China muito mais fortalecida e com produtos de altíssima qualidade. Olhar para este gráfico e entende-lo do ponto de vista econômico e industrial justifica as ações e preocupações dos Estados Unidos em relação à China.

Inovar é mais do que apenas desenvolver novos nomes para a Inteligência Artificial do seu aplicativo, é criar e desenvolver coisas que ainda não existem e que as pessoas pagarão para ter!

Investir em pesquisa e desenvolvimento é o primeiro passo para um país impulsionar a inovação, e assim melhorar sua competitividade internacional.


REFERÊNCIAS

GII. History Of The Global Innovation Index. Global Innovation Index. Disponível em https://www.globalinnovationindex.org/about-gii#history. Acesso em 24 ago. 2019



segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Campinas: Ranking Connected Smart Cities 2019

por Stéfano Carnevalli

A cidade de Campinas, interior de São Paulo, ficou em 1º lugar no ranking Connected Smart Cities 2019.  Com objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil, o Ranking, elaborado pela Urban Systems, traz indicadores que qualificam as cidades mais inteligentes do País.

CSC Ranking Connected Smart Cities elaborado pela Urban Systems Brasil

No ranking Campinas (SP) é reconhecida por ser polo universitário, polo tecnológico, polo de
inovação e região industrial com forte apelo logístico e de distribuição:
• 1ª no recorte de Economia.
• 1ª no recorte de Tecnologia e Inovação.
• 2ª no recorte de Empreendedorismo.
• 3ª no recorte de Governança.
• 4ª no recorte de mobilidade e acessibilidade.

Esse destaque é acompanhado pela Sýndreams Aceleradora de startups e empresas que contribuiu com a pesquisa que além da cidade de Campinas, destacam-se ainda as cidades de Piracicaba, Valinhos, Vinhedo, Americana, Limeira, Rio Claro, Paulinha, Hortolândia, Indaiatuba, Araras e Jaguariúna.



Para os investidores parceiros da Sýndreams, esses são indicadores importantes, pois refletem em novos potenciais de mercado, principalmente nas áreas de Inovação Industrial, Economia Criativa e Agronegócio.

O Ranking é composto por 11 eixos temáticos e 70 indicadores que se conectam entre si, apontam relevância em mais de um eixo analisado. Verificando o indicador empreendorismo, percebe-se um aumento em relação aos anos anteriores, o que mostra o protagonismo das cidades em gerar novas empresas e startups.



Estar presente na cidade de Campinas é estratégico para a Sýndreams Aceleradora que está buscando parceiros internacionais para ampliar a sua atuação e potencializar novas startups na região.

Confira o relatório Connected Smart Cities 2019 completo, acessando:

https://conteudo.urbansystems.com.br/csc_urban_atual