Páginas

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Ambientes de Inovação e Startups

Por Sýndreams

Na última quinta-feira (15/08) a sócia diretora da Sýndreams e Assessora do Curso de Engenharia de Produção da USF, Sandra Elisabeth, realizou a palestra de encerramento do I Encontro SENAI “Roberto Mange” de Inovação, Propriedade Intelectual e Novas Tecnologias.

O objetivo principal do evento foi apresentar as possibilidades de inovação que as indústrias e empresas têm e como o SENAI pode auxiliá-las nesta jornada.

Sandra Elisabeth frisou em sua palestra a importância das empresas se aproximarem das Startups para desenvolverem inovações abertas ou até mesmo ‘pensarem’ como Startups.

O maior benefício da aproximação entre Startups e Indústrias é a junção da flexibilidade e agilidade das Startups com os conhecimentos e expertises da Indústria.

Abaixo algumas fotos do evento!


Fábio Toshio Ueno

Rodolfo Oliveira

Gabriel Panicci

Sandra Elisabeth

Sandra Elisabeth; Fábio Toshio Ueno e Gabriel Panicci

Fábio Toshio Ueno entregando mimo à palestrante Sandra Elisabeth

Sandra Elisabeth

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Quando o retrabalho acontece?

Por Sandra Elisabeth


A indústria trabalha diariamente para diminuir o retrabalho, já que o resultado deste é aumento no custo!

Porém, o retrabalho acontece em todos os setores da economia e de negócios.

A área mais comum de haver retrabalhos é no setor de serviços, devido a dificuldade de padronização inerente ao tipo de negócio.

Mas, porque o retrabalho acontece?

O motivo mais comum para isto acontecer é a falta de planejamento!

Parece óbvio “planejar”, mas nem sempre isto acontece.

Muitas vezes começamos o trabalho ou atividade, planejamos o cronograma, mas nos esquecemos de pensar o objetivo final do que está sendo feito e não prevemos os prováveis cenários ou mudanças que podem acontecer!

Uma ferramenta que pode ajudar e muito é o Business Model Canvas!

Mesmo que seu empreendimento já esteja rodando, que você já sabe qual é a atividade final, quem é o cliente, etc. recomendo que elabore um Canvas exclusivo para a atividade que está desenvolvendo.

Serão duas ou três horas pensando sobre o projeto que lhe pouparão muito retrabalho!

Recentemente participei de um projeto em que precisei refazer todo o trabalho, TODO MESMO! Aconteceram três alterações durante o processo, que no final resultou no retrabalho completo.

Tudo porque não se tinha informações suficientes para a elaboração do projeto, apenas a data final de entrega e um benchmarking mal elaborado, já que a ideia inicial era “copiar” algo de quem já fazia, sem responder perguntas simples:
  • Quem será o cliente do projeto?
  • Quais são as propostas de valores destes clientes?
  • Como o projeto ganha dinheiro?
  • A empresa em que o benchmarking foi feito atende os mesmos clientes com os mesmos valores e mesmos objetivos?
  • Para atender os valores dos clientes quais as atividades precisamos fazer?
  • Para atender os valores dos clientes quais os recursos precisamos ter?
  • Quais os custos envolvidos?
  • Quem serão os parceiros que poderão auxiliar no projeto?

Eu não me importei em refazer, já que vou ganhar duas vezes! Mas quem pagou, poderia ter economizado o dinheiro e o tempo! Já que devido o retrabalho o projeto teve um atraso de 4 meses!

Portanto, cuidado: todo o projeto,  produto, serviço, antes de se iniciar precisa de planejamento!

Minha dica é usar o Canvas, que é uma ferramenta simples e pode antecipar as provaveis falhas e diminuindo a probabilidade de retrabalho!

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Trilha da Inovação: Indústria 4.0 e o Agronegócios

Por Sandra Elisabeth e Celso Carrer


O termo Indústria 4.0 foi cunhado pela primeira vez na Alemanha em 2011 e se refere a Quarta Revolução Industrial pela qual passamos neste momento.

A contagem de Revoluções Industriais começou no século XVIII, com a Primeira Revolução Industrial, momento em que surgem as primeiras máquinas à vapor e a população saí do campo  e vai para as cidades trabalhar nas fábricas.




Noventa anos anos após a Primeira Revolução Industrial, surge a Segunda Revolução Industrial, que inclusive é amplamente estudada nas disciplinas de história e geografia pelo impacto gerado em todas as áreas da sociedade, incluindo artes, literatura, economia, etc.

A Terceira Revolução Industrial, como observado na figura 01, aconteceu em 1970, cem anos após a Segunda Revolução Industrial e diferente das duas primeiras trouxe transformações quase que exclusivamente para o setor produtivo.

E quarenta anos após a Terceira Revolução Industrial, surge a Quarta Revolução Industrial, com impactos significativos em toda a sociedade, assim como foi a Segunda Revolução Industrial.

Porém, diferente do que aconteceu no passado, a Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0 trás consigo muita tecnologia para ser aplicada no campo, melhorando a vida do produtos rural e fazendo com que os jovens permaneçam em suas terras, buscando inovar nas áreas que já conhecem.

Faz parte deste cenário as máquinas agrícolas com Inteligência Artificial, como por exemplo soluções de pesagem de carga com a máquina em movimento podendo os dados serem acessados remotamente para gerenciamento da produtividade (CATERPILLAR, 2019).

Ou ainda soluções de máquinas e equipamentos autônomos ou semiautônos, com controle remoto, além dos que contam com a combinação de dados de projeto digitais, orientação na cabine e controles automáticos (CATERPILLAR, 2019).
Mais do que tecnologia embarcada em máquinas, o campo conta ainda com equipamentos que auxiliam no gerenciamento de água, nivelamento; aplicações de insumos; monitoramento e rastreamento, gerando documentações que auxiliam nas tomadas de decisões, bem como na produtividade e qualidade do que se pode ser produzido (JOHN DEERE, 2019).

O impacto da Indústria 4.0 no agronegócios é notório! Vivemos a conectividade máquina-homem-natureza, que trás benefícios para todos os envolvidos ao longo da cadeia produtiva do agronegócios (NOVELLI TU, 2017).

Investir em inovações no campo é garantir uma balança comercial saudável no Brasil, já que este setor é o responsável pela maior parte das exportações, chegando a US$ 101,7 bilhões em 2018 (Reuters, 2019).
  
REFERENCIAL

CATERPILLAR. Tecnologia. Disponível em https://www.cat.com/pt_BR/products/new/technology/payload.html. Acesso em 28 jun 2019.

JOHN DEERE. Soluções para operações no campo. Disponível em https://www.deere.com.br/pt/tecnologia-de-produtos/agricultura-de-precis%C3%A3o/solu%C3%A7%C3%B5es-para-opera%C3%A7%C3%B5es-no-campo/. Acesso em 28 jun 2019.

NOVELLI TU, Natan. Agronegócio: a aplicação da indústria 4.0 na melhora da produtividade e rendimento. USP AUN – Agência Universitária de Notícias USP. Ciência e Tecnologia, Economia e Política. Publicado em 20 jun 2017. Disponível em https://paineira.usp.br/aun/index.php/2017/06/29/agronegocio-a-aplicacao-da-industria-4-0-na-melhora-da-produtividade-e-rendimento/. Acesso em 28 jun 2019.

 

REUTERS. Exportação do agronegócio do Brasil atinge recorde de US$ 101,7 bi em 2018, diz governo. G1.com. Agro. Publicado em 18 jan 2019. Disponível em https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2019/01/18/exportacao-do-agronegocio-do-brasil-atinge-recorde-de-us1017-bi-em-2018-diz-governo.ghtml. Acesso em 28 jun 2019.

 


segunda-feira, 22 de julho de 2019

Economia Criativa, Inovação Industrial e Agronegócios

Por Sýndreams Aceleradora


A Sýndreams Aceleradora de Startups e Empresas é uma das poucas aceleradoras no Brasil que atua em setores reconhecidamente industriais.


Nossa área de atuação começa com Economia Criativa, englobando Moda e toda a indústria têxtil e de confecção; Gastronomia; Cultura; Turismo; Designer de Produtos; Publicidade e Propaganda e claro as áreas de Desenvolvimento de Software.

Em Inovação Industrial, atendemos startups e empresas que desenvolveram produtos (físicos) e serviços diferenciados, que agregam valor a cadeia industrial e podem diminuir custos ou aumentar lucros na indústria. Inovações que estão conectadas com o novo ambiente exponencial e novos conceitos da Indústria 4.0.




Atuamos também na área de agronegócios, envolvendo desde soluções de IoT para o campo até formas inovadoras de produção de alimentos, plantio, irrigação, geração de energia, entre outros.

O que gostamos mesmo é de atuar com produtos físicos, algo que estava no papel e depois vira realidade palpável, tocável, que pode ser produzida em pequena ou grande escala, não importa! Queremos movimentar a economia industrial e gerar empregos nas fábricas nacionais.

Somos uma das poucas aceleradoras que investem nestas áreas, pois o retorno financeiro é mais lento do que os negócios envolvendo apenas softwares e há menos dinheiro de investidores neste mercado.

Porém, apesar dos riscos somos uma aceleradora que investe no potencial destes empreendimentos no Brasil e sabemos que temos muito espaço de crescimento e muitos desafios que ainda precisam de solução interna.


Assim, continuamos apostando no desenvolvimento interno e em startups que podem além de produzir inovação nacional exportar as soluções criadas no Brasil.

A Sýndreams Aceleradora acredita na força da Indústria Nacional desde 2012 e por isso desenvolveu um programa específico para as pequenas e médias industriais, para que consigam superar os desafios e atingir o modelo da Indústria 4.0.

Se você empreendedor (empresário) atua em uma destas áreas (economia criativa, inovação industrial ou agronegócios) sinta-se a vontade para agendar uma reunião conosco e conversar mais sobre as possibilidades de inovação e investimento para seu empreendimento.

Esperamos por vocês!